Crescimento de bancos digitais e o desafio da cibersegurança

Crescimento de bancos digitais e o desafio da cibersegurança

As instituições bancárias que estão por dentro das transformações digitais e ferramentas modernas tornam-se protagonistas na era virtual. Afinal, os consumidores encontram serviços eficientes e a conveniência de operações ágeis. Entretanto, a digitalização em massa também amplia o campo para fraudes, vulnerabilizando a cibersegurança do setor financeiro.

De acordo com o Ranking idwall de Experiência Digital, em parceria com o Banco Central do Brasil (Bacen), em 2023 o país registrou 1,2 bilhão de contas bancárias ativas, ou seja, atualmente 89,8% da população brasileira possui vínculo com instituições financeiras. Neste cenário, 62% das pessoas optaram por abrir conta em bancos digitais.

Segundo pesquisa do Fundo Monetário Internacional (FMI), bancos, seguradoras e gestoras sofreram mais de 20 mil ataques cibernéticos nas últimas décadas, acarretando em perdas de US$12 bilhões ao setor financeiro global. Em análise, o FMI destaca a preocupação com as ameaças cibernéticas, pois, além de comprometer a confiança do no sistema financeiro digital, elas podem levar instituições à liquidação do mercado e resgate de contas, em virtude da saúde e credibilidade do banco.

Esses dados exemplificam que a inovação tecnológica é responsável por promover diversas vantagens ao setor financeiro e aos seus clientes, como rapidez nas operações e melhorias na experiência do usuário, mas os benefícios alcançados não isentam as organizações da insegurança cibernética.

Desafios e lutas cibernéticas


Empregar estratégias e tecnologias organizacionais que garantam a confidencialidade e integridade das informações presentes no meio digital deve ser prioridade para empresas que querem acompanhar as transformações digitais. Em outubro de 2023, a Comissão de Valores Mobiliários e Câmbio dos Estados Unidos (SEC) denunciou uma empresa de software por fraude e falhas no controle interno, relacionadas a riscos e vulnerabilidades de segurança cibernética. A empresa ignorou sinais de alerta sobre os riscos da falta de proteção e privaram os investidores de informações transparentes sobre os seus ativos.

Já, no caso dos bancos brasileiros, R$ 3,5 bilhões são investidos anualmente em segurança digital, número que tende a crescer para R$ 4,5 bilhões, segundo Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária. Esse aprimoramento dos recursos preventivos compreende que a perda de confiança dos clientes pode impactar na sustentabilidade das organizações. Por isso, esses investimentos são indispensáveis para evitar fraudes e captar usuários dos bancos tradicionais.

Os serviços entregues pelas instituições financeiras são naturalmente sensíveis, pois abrangem a disponibilidade e liquidez de capital, crédito, empréstimos e investimentos.

Segurança ou praticidade: é possível ter as duas coisas?


O Relatório Global de Tendências de Fraude Digital Omnichannel 2024, realizado pela empresa TransUnion, destaca que uma em cada sete contas digitais recém-abertas é suspeita de fraude digital. É possível concluir que a ascensão do número de registros em bancos digitais deve estar acompanhada de reforços nos sistemas de segurança.

Os cibercriminosos exploram as falhas internas das organizações e desestabilizam os sistemas de bancos digitais por meio de técnicas avançadas como engenharia social. Essa é uma técnica de manipulação que se aproveita de erros humanos para obter informações privadas e phishing, a tática de enganar as vítimas para capturar informações confidenciais.

Criar medidas para assegurar a integridade da sua empresa é investir em segurança. Os sistemas avançados de monitoramento, como a tuvis, são capazes de fiscalizar as informações que são trocadas pelo WhatsApp empresarial, sem que haja a necessidade de desabilitar o atendimento do aplicativo.

Introduzir soluções Data Loss Prevention (DLP) protege a organização financeira de atividades suspeitas, pois o administrador pode restringir o acesso aos dados e classificar as informações confidenciais com o software, bloqueando o compartilhamento, a transferência e o uso inapropriado de dados. Essa medida facilita a geração de relatórios e potencializa a gestão de projetos, armazenando o registro de diferentes setores e equipes.

Com a ampla expansão de bancos digitais, é essencial movimentar-se para assegurar não só clientes, mas também colaboradores, para que identifiquem e não reproduzam práticas que coloquem em risco a segurança da empresa.

Proteja sua instituição financeira de crimes cibernéticos, detectando com antecedência e rapidez as ameaças de violações aos dados sensíveis. Clique aqui e conheça as soluções eficientes da tuvis.

Trending in Tuvis

How should companies deal with data leaks?

Understanding of AI’s impact on business

After billion-dollar losses, financial firms increase investment in security

Stay Updated

Subscribe for updates about our latest feature releases and updates.

How should companies deal with data leaks?

Understanding of AI’s impact on business

After billion-dollar losses, financial firms increase investment in security

Scroll to Top